Navegue
por categorias

Raquel Iendrick desbrava o mundo em snowboard

Raquel Iendrick desbrava o mundo em snowboard

Raquel Iendrick está sempre pronta para sair em busca das melhores estações de esqui. A ex-atleta profissional de snowboard leva sua prancha para os quatro cantos do mundo e, recentemente, vivenciou uma experiência bem diferente no Irã. Viajante e apresentadora há quase 10 anos, estreou no Multishow para falar de snowboard no programa “Batom e Parafina”. Além disso, já viajou o Brasil de bicicleta durante cinco temporadas do programa “Sem Destino” e, desde a estreia do Canal Off, registra suas jornadas em atrações como “Snow Camp” e “Melhores Resorts de Inverno”, atualmente no ar.

Para vivenciar suas aventuras, ela conta que já lavou louça e trabalhou em cassinos para juntar dinheiro. “Tem que ser guerreira”, diz ela, que já foi campeã brasileira de snowboard e conheceu diversos países por causa do esporte, entre eles Canadá, Estados Unidos, Nova Zelândia, França, Suíça, Itália, Áustria, Chile, Argentina, Espanha, Bulgária e Japão.

Qual sua aventura mais recente?

Acabo de voltar de uma viagem para as montanhas de neve do Irã. Era um sonho antigo e consegui levar essa ideia para o Canal Off. Estava com vontade de fazer uma viagem um pouco mais exótica. O episódio sobre a viagem terá um formato um pouco diferente do usual no programa “Melhores Resorts de Inverno”. Normalmente, temos uma “pegada” mais reality show, mas no Irã optamos por um ponto de vista mais documental, já que o destino é muito pouco conhecido entre os praticantes de esportes de neve no Brasil e no mundo. A cobertura completa está prevista para ir ao ar até o final do ano. Estamos finalizando os detalhes.

Como foi praticar snowboard no Irã?

Foi incrível! É um lugar sobre o qual é difícil achar informação. O destino é super seguro, barato e as pessoas são bem hospitaleiras. As montanhas de neve têm fácil acesso e ficam a pouco mais de uma hora de carro da capital, Teerã. O lugar recebe poucos turistas. A montanha é muito íngreme, e a qualidade da neve é surreal, com pistas de todos os níveis e pouca competição para pegar neve fresca. Dá para ir tranquilo.

A cordilheira tem mais de 3 mil montanhas de mais de 4 mil metros de altura. Na capital, os contrastes culturais são fortes com a nossa cultura e é preciso conhecer as regras. Na montanha, a sensação de liberdade é maior. A única coisa que me recomendaram foi não usar roupas que marcam o corpo, só que isso nem foi um problema, já que para praticar snowboard as jaquetas são sempre longas. Só quem pratica esqui que tem que tomar cuidado com isso. Do mais, você até esquece que está no Irã. Os homens respeitam muito as mulheres.

Qual seu destino favorito no mundo para praticar snowboard?

Meu destino favorito até hoje, entre todas as viagens, continua sendo o Japão: as montanhas Hakuba e Niseko. Eu sou apaixonada por lá, a neve é maravilhosa e a experiência cultural é incrível. O destino Japão é um clássico, mundialmente conhecido. A estrutura é tão boa quanto as da Europa e dos Estados Unidos. Eu tenho uma lista de destinos exóticos para snowboard que sonho em fazer.

Como você avalia a presença feminina no snowboard?

Eu percebo que tem crescido bastante. O cenário é outro antes e depois do Canal Off. Uma das coisas mais bacanas que recebo são mensagens de outras mulheres, às vezes até adolescentes, dizendo que se inspiraram nas minhas viagens de snowboard para começar. É muito gratificante. Vejo que ainda na América do Sul, quando se vai para as montanhas, a maior parte dos grupos de snowboard ainda é de homens. Na Europa e nos Estados Unidos já é mais equilibrado. O acesso à informação e às redes sociais ajudam a reunir mais mulheres no esporte. Muitas achavam que snowboard era só coisa de homem, mas perceberam que não. É um esporte que pode parecer perigoso, mas não significa que seja impossível.

Quais esportes você pratica quando não está na neve?

O paraquedismo é meu segundo esporte. Tenho praticado Wingsuit também - paraquedismo com um tipo de traje que parece ter asas e que permite mais tempo de voo. Mas eu amo fazer os projetos de snowboard. Um dia espero ter algum projeto com paraquedismo também.

Quais são suas dicas para viajantes profissionais?

Existe muita coisa para desbravar, não dá para ficar só naquele roteiro tradicional. De vez em quando, vale a pena sair e conhecer outros lugares pouco comentados. Lugares sobre os quais não existem muitas informações acessíveis. É muito bom visitar um destino que você não sabe o que esperar. Temos que aproveitar. É meio clichê, mas faz bem sair da zona de conforto. A gente se conhece melhor.

O que te inspira a praticar aventura?

Espero ajudar cada vez mais gente a viajar. Inspirar outras pessoas a se arriscar em praticar novos esportes, conhecer novos destinos. Me inspiro nisso também. Recentemente, testei um novo esporte, o surfe com foilboard, por exemplo. Sou bem ruim. É muito mais difícil do que parece, mas ainda estou tentando ir bem. O que me motiva é continuar tentando.

Vai Lá

Melhores Resorts de Inverno

http://canaloff.globo.com/programas/melhores-resorts-de-inverno/

Raquel Iendrick no Instagram

https://www.instagram.com/raqueliendrick/?hl=pt-br

Abeta WAS 4x4brasil adventuremag Revista AUTO esporte Coluna de Turismo Epoca Galileu Cazeta Esportiva hoteliernews MaCamp nadapedalacorre Pequenas Empresas Grandes Negocios Travejante Vagabundo Profissional Viajar e Simples Viajando por esporte Webventure Fagga Sao Paulo Expo
Local do Evento
SÃO PAULO EXPO
Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5
São Paulo, Brasil
COMERCIAL
+55 11 5067-1717 | 1770
comercial@adventurefair.com.br
INFORMAÇÕES, DÚVIDAS E SAC:
FALE CONOSCO
+55 11 5067-1717
+55 11 5067-1770
Atendimento: 09h às 20h
contato@adventurefair.com.br
Dúvidas:
COMPRA DE INGRESSO
SAC: Clique aqui
+55 (11) 4003-2051

Trade e Convidados
CREDENCIAMENTO
+55 (11) 2129-6323
credenciamento@credenciamentoweb.com.br